XIX Festival Eleazar de Carvalho

Programação do Festival

De 02 a 23 de julho 2017 – Fortaleza/CE

Direção artística Sônia Muniz de Carvalho

Artistas e professores

Direção Artística

  Sônia Muniz
  de Carvalho
  (MMAD) Brasil
  [currículo]

  

   

Regência Orquestral

  Rodrigo Vitta
  (MM) Brasil
  [currículo]

  

  Sergei Eleazar
  de Carvalho
  (Prof.) Brasil
  [currículo]

  

  Rafael Luz
  (DMA) Brasil/Canadá
  [currículo]

  

Regência Coral

  Emilio de César
  (MM) Brasil
  [currículo]

  

Violinos

  Ronedilk Dantas
  (Prof) Brasil
  [currículo]

  

Thiago Formiga  Thiago Formiga
  (MM) Brasil/USA
  [currículo]

  

Elina Suris  Elina Suris
  (profa) Moldávia/Brasil
  [currículo]

  

Viola

  Ulisses Silva
  (DMA) Brasil/USA
  [currículo]

  

   

Violoncelo

  Nilson Galvão Jr.
  (MM) Brasil/USA
  [currículo]

  

   

Contrabaixo

  Xisto Medeiros
  (Prof.) Brasil
  [currículo]

  

   

Flauta

  Renan Rezende
  (MM) – Brasil
  [currículo]

  

   

Oboé

  Ravi Shankar
  (Prof.) Brasil
  [currículo]

  

   

Clarinete

  Lucas Andrade
  (MM) Brasil
  [currículo]

  

   

Fagote

  Romeu Rabelo
  (MM) Brasil
  [currículo]

  

   

Trompa e Assistente de Regência

  Robson Lima
  (Prof.) Brasil
  [currículo]

  

   

Trompa

  David Misiuk
  (Prof.) Brasil
  [currículo]

  

   

Trompete

  Derick Heliston
  (Prof.) Brasil
  [currículo]

  

Banda Sinfônica e Trombone

  Sandoval Moreno
  (MM) Brasil
  [currículo]

  

   

Percussão

  Roberto Antonio Saltini
  (PhD) – EUA/Brasil
  [currículo]

  

   

Piano

  Paul Rutman
  (DMA) – EUA
  [currículo]

  

  Max Barros
  (MM) – EUA/Brasil
  [currículo]

  

 

Canto e Técnica Vocal

  Marcelo Okay
  (MM) – Brasil/ Áustria
  [currículo]

  

   

Pianista da Classe de Coral

  Leila Carvalho
  (Profa) – Brasil
  [currículo]

  

   

Pianista correpetidor

  Lucas Bojikian
  (Prof.) Brasil
  [currículo]

  

   

Violão Clássico

  João Luiz Rezende
  (DMA) – EUA/Brasil
  [currículo]

  

   

Artistas Convidados

  Diogo Pacheco
  maestro
  [currículo]

  

  Angelica de La Riva
  soprano
  [currículo]

  

  

  

Currículo de todos os artistas participantes

  

ANDRADE, Lucas

Mestre em Performance Musical e Bacharel em clarineta, ambos pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) sob a orientação do professor Dr. Pedro Robatto. Participou de master classes com renomados professores como Jorge Montilla (Venezuela), François Benda (Suiça), Sérgio Burgani (Brasil), Afonso Montanha (Brasil) e Jordi Pons (Espanha). Como solista, atuou frente a Brasília Popular Orquestra, Orquestra Sinfônica da UFBA. Na música popular, tocou com tradicionais grupos. Integrou a Orquestra de Câmara de Salvador, Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) como clarinetista e claronista convidado. Na área pedagógica atuou como professor de improvisação e foi um dos organizadores do I Encontro Paraibano de Clarinetistas. Atualmente, o músico integra o quadro efetivo da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB), onde exerce a função de primeiro clarinetista solista.

^ voltar

BARROS, Max

Pianista e co-diretor artístico da ERC, aclamado como um dos pianistas mais importantes da América do Sul. Nascido na Califórnia e criado no Brasil, o Sr. Barros foi agraciado com o “Solista do Ano” pela música de São Paulo Critics Association. Dedica-se à música brasileira, estreando e gravando obras de importantes compositores brasileiros como o Quinteto para piano de Amaral Vieira, Quinteto com o Ensemble Capriccio e gravou pela Naxos a obra completa de concertos para piano de Camargo Guarnieri sob a regência de Thomas Conlin e da Filarmônica de Varsóvia, trabalho que ganhou um “Discovery” – prêmio da revista Diapason na França. Max Barros percorreu a América do Sul com o Virtuosi di Praga e como artista convidado com o Quarteto de Cordas Ensemble americano e do St. Luke de Câmara. Conhecido por suas interpretações estilísticas e historicamente informada, e sua extensa pesquisa sobre a prática de desempenho de instrumentos de teclado, o que lhe permitiu trazer novas perspectivas para suas performances no piano moderno. Junto com Stephanie Chaise, gravou os trios completos de Boccherini e Stephen Storace em instrumentos de época. Em 2008, o Sr. Barros fez sua estreia no Festival de Caramoor executando o Concertino para piano e orquestra de Camargo Guarnieir, com a Orquestra da St. Luke, sob a regência de Michael Barrett. Max gravou recentemente “Ponteios” de Camargo Guarnieri pela Naxos e está em processo de gravação da obra completa para piano solo do mesmo compositor.

^ voltar

BOJIKIAN, Lucas

Bacharel em piano pelo Instituto de Artes da UNESP. Sua formação pianística contou com a orientação de Regina Damiatti, Eda Pinto, Neusa Maria Ferreira, Miriam Braga, Nely de Alencar, André Rangel e Marisa Lacorte. Obteve premiações em concursos de piano em que se destacam: Concurso ArtLivre e Concurso Souza Lima. Trabalhou como pianista correpetidor do departamento de Canto da UNESP e como pianista da Formação de Euritimistas no Brasil. Em 2008 trabalhou no Festival de Ópera de Manaus, como pianista correpetidor da ópera “Maria Golovin” e “Requiem” de Verdi e como maestro interno das Óperas “João e Maria” e “Turandot”. No mesmo ano foi convidado para correpetir a estréia no Brasil da ópera Le Villi, de Puccini, no Teatro Municipal de São Paulo. Trabalhou no Teatro Amazonas junto ao coro, Filarmônica e a Orquestra de Câmara de Manaus. Atuou como pianista correpetidor, preparação musical e integrante da orquestra em vários musicais como Hairspray, “Gaiola das Loucas”, “O Rei e Eu”, entre outros. Em abril de 2015, foi nomeado para assumir o cargo de pianista correpetidor do Departamento de Música da UFPB.

^ voltar

CARVALHO, Leila

Bacharel em Piano pela Universidade Federal de Goiás, sendo orientada por renomados professores. Realizou Cursos de Alta Interpretação pianística e Música de Câmara nos Cursos de Curitiba, Campos do Jordão, CIVEBRA e no Robert Schumann Institut, Düsseldorf – Alemanha. Lecionou na Escola de Música de Brasília como professora de piano e pianista acompanhadora de Corais, entre os quais o Madrigal de Brasília. Atuou como pianista cor repetidora no Brasil e na Alemanha em concertos o professor Yamamoto, Trombonista da Orquestra da Rádio de Stuttgart, além da temporada de ópera da Orquestra do Teatro Nacional de Brasília, sob a regência dos maestros Emílio De Cesar, Ivo Cruz, Levino de Alcântara. Como recitalista e acompanhou profissionais renomados como Natan Schwartzmann e Vanda Oiticica.

^ voltar

CARVALHO, Sergei Eleazar de

Natural de São Paulo iniciou seus estudos aos quatro anos de idade com seu pai, o Maestro Eleazar de Carvalho. Dois anos mais tarde, iniciou seus estudos de violino com José Carlos Lima, Koiti Watanabe e Erich Lehninger. Aos 11 anos, transferiu-se para os Estados Unidos a fim de estudar com a professora Syoko Aki, da Yale University. Foi vencedor de vários concursos nos Estados Unidos e no Brasil. Convidado pela Orquestra “New York Debut”, fez sua estréia em Nova Iorque no ano de 1992. Participou dos Festivais de Campos do Jordão, Gramado, Paraíba, Londrina, Curitiba e Itu e no Canada. Trabalhou música de Câmara com grandes nomes do cenário internacional como Philip Setzer e Eugene Drucker ( Emmerson String Quartet), Sadao Harada (Tokyo String Quartet),. Nick Kitchen (Borromeo String Quartet), Ariana String Quartet, Penderecki String Quartet, Joseph Gingold, Janos Starker e Aldo Parisot. Apresentou-se como solista frente às orquestras: Sinfonica do Estado de São Paulo(OSESP), Sinfônica de Porto Alegre(OSPA), Sinfônica de Campinas, Filarmônica do Rio de Janeiro, Sinfônica do Estado de Goiás; sob as regências de: Eleazar de Carvalho, Diogo Pacheco, Benito Juarez, João Carlos Martins, Tulio Bellardi, Dante Anzolini, entre outros. Foi membro da OSESP, Orquestra Jazz Sinfônica de Estado de São Paulo, Filarmônica de São Bernardo do Campo, Bachiana Chamber Orchestra, Wallingford Symphony e New Britain Symphony. Graduou-se bacharel em violino pela Faculdade Mozarteum de São Paulo em 1998 sob a orientação de Cláudio Cruz e, recentemente, fez curso de pós-graduação na The Hartt School, da Universidade de Hartford (EUA) na classe do professor Anton Miller. Foi spalla da Bachiana Filarmônica SESI-SP e Regente Assistente de João Carlos Martins, na mesma instituição, entre 2009 e 2012. Em sua ainda recente carreira como regente, já esteve à frente das orquestras sinfônicas: da Universidade de São Paulo (OSUSP), de Porto Alegre (OSPA), Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), Orquestra Sinfônica de Piracicaba e Bachiana Filarmônica SESI-SP.É orientado, na parte de regência orquestral por, Christopher Zimmerman e Lanfranco Marcelletti, tendo participado em julho de 2010, do “Rose City Conducting Workshop” e, em agosto de 2011, do “aria italiana” Conducting Program em Mercatelo sul Metauro, Itália, à frente da Orquestra G. Rossini. Recentemente, foi o Regente das Orquestras Acadêmicas: do 18 Festival de Artes de Itu em 2011, do 3o Festival Internacional de Música Erudita de Piracicaba em 2012.

^ voltar

CÉSAR, Emilio de

Natural do Rio de Janeiro, formou-se em Regência, Composição e Canto pela Universidade de Brasília e no Robert Schumann Institut (Universidade de Colônia, Alemanha), com o professor Hans Kast, regente e diretor da ópera daquele Instituto, antigo assistente de Herbert von Karajan. Foi Regente Titular do Coral Evangélico de Brasília e Presidente da Associação Brasileira de Regentes de Coros – ABRC. Foi Professor de Regência Coral e Responsável pelo Departamento Coral dos Festivais Eleazar de Carvalho na cidade de Itu e em Fortaleza/CE. Foi o Regente Titular das Orquestras Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília, Sinfônica de Minas Gerais, Filarmônica de Goiás e Sinfônica de Brasília – FOSB. Tem regido várias orquestras no Brasil e no exterior, entre elas Philharmonische Gesellschaft Düsseldorf, na Alemanha; Orquestra de Córdoba, na Argentina; Sinfônica do Paraguai; Orquestra Sinfônica Nacional de Costa Rica e a Orquestra Sinfônica de Sheboygan e Manitowoc, no Estado do Wisconsin, nos Estados Unidos. Realizou várias primeiras audições mundiais de obras de compositores brasileiros. Classificou-se como compositor no XXV Concurso Internacional Gian Batista Viotti, em Vercelli, Itália Societá del Quarteto (1974) e 2º Colocado no Festival de Música Sacra de Brasília, com a música “Adoração”. Foi regente de vários corais excursionando com os mesmos pelo Brasil e exterior com os mesmos recebendo o 1º lugar no Concurso de Coros em Brasília e finalista do Concurso Internacional de Coros na França e 1º lugar no Concurso Nacional de Coros da FUNART. Com o Coral Brasília realizou várias excursões nacionais e internacionais, e no Concurso Nacional de Coros da Funarte, classificou-se em 1º lugar. Gravou o 2º CD do Madrigal de Brasília, e também o 1º CD do Coral Evangélico de Brasília. Possui o título de Cavaleiro do Grão-Mestre da Ordem do Mérito Brasília e o de Comendador do Grão-Mestre da Ordem do Mérito Cultural do Distrito Federal. Recebeu o título de Cidadão Honorário de Brasília; o diploma da Ordem dos Músicos do Brasil, Conselho Regional do Distrito Federal pelos relevantes serviços prestados à Classe Musical; o Diploma de “Láurea Medalha do Mérito Carlos Gomes”, concedido pela Academia de Letras e Música do Brasil. É membro da Academia de Letras e Música do Brasil, na cadeira de nº 54, de Assis Republicano.

^ voltar

DANTAS, Ronedilk

Bacharel em música pela Universidade Federal da Paraíba, sob a orientação do professor Yerko Tabilo. Vencedor e melhor intérprete de música brasileira no X Concurso de Jovens Instrumentistas de Piracicaba e no I Concurso Norte-Nordeste da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Participou como recitalista e professor de violino do Festival de Música de Câmara de Curitiba, Festival de Inverno de Campos do Jordão, Curso Internacional de Verão da Escola de Música de Brasília e do Festival Eleazar de Carvalho.. Ingressou em 1993 no Quinteto da Paraíba iniciando uma notável carreira como camerista e divulgador da Música Nordestina e Armorial. Participou de diversos festivais nacionais e internacionais, como o Festival de Flandress e o Europália. Com o referido conjunto realizou três tournées pelo exterior, divulgando a Música Brasileira em países da Europa e América Latina, alcançando sempre grande aceitação de público e da crítica especializada. Atualmente professor de violino da Escola de Música da UFRN, e desde 2007, violista do Quinteto da Paraíba.

^ voltar

FORMIGA, Thiago

Mestre em Performance pela Duquesne University na classe do prof. Charles Stegeman, Bacharel em violino pela Universidade Federal da Paraíba na classe do prof. Yerko Tabilo. Atuou como membro ou músico convidado de inúmeras orquestras no Brasil e Estados Unidos, incluindo a Orquestra Sinfônica da Paraíba, Sinfônica do Theatro da Paz, Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa, Wheeling Symphony Orchestra, Westmoreland Symphony Orchestra and Altoona Symphony Orchestra. Participou de festivais de música no Brasil e no Sunflower Music Festival em Topeka – Kansas com o Fauré Piano Quintet sob a orientação do pianista David Allen Wehr.. Entre 2012 e 2014 foi Spalla da Duquesne Symphony Orchestra e primeiro violino do Frances DeBroff Graduate Quartet.. Vencendor da Duquesne Concerto Competition, quando atuou como solista junto a Duquesne Symphony Orchestra. Desenvolve intensa atividade camerística com o Quarteto Eli-Eri, Arianna String Quartet. e do Quinteto da Paraíba, grupo no qual desenvolve extensa atividade de divulgação e reconhecimento da música de câmara brasileira. Atualmente, Thiago Formiga é spalla da Orquestra Sinfônica da Paraíba.

^ voltar

HELISTON, Derick

Iniciou seus estudos musicais na Escola de Música de Brasília. Foi premiado no Concurso Jovens Solistas Furnas e desde 2011 vem atuando como solista e professor no Festival Eleazar de Carvalho, atuou como músico convidado da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro entre os anos de 2010 a 2013. É produtor cultural e formado em artes pela Faculdade Santa Terezinha.

^ voltar

GALVÃO JR., Nilson

Natural de Recife/PE, doutorando em regência orquestral pela Universidade Northwestern, Mestre em violoncelo pela universidade de Campbellsville-EUA, mestre em direção de orquestra pela Universidade de Louisville-EUA,, bacharel em música da UFPB com o prof. Nelson Campos. Primeiro lugar no II Concurso de Cordas de Campos-RJ e também o prêmio revelação de todo o Concurso, Segundo lugar no Prêmio Paraíba de Música. Como regente atuou principalmente como regente assistente do maestro Jorge Mester junto a orquestra sinfônica de Louisville, tendo a responsabilidade de dirigir concertos didáticos e familiares. Academicamente atua ensinando música nas áreas de filosofia e psicologia, e tem como especialidade tratar do caráter semântico da música. Recentemente iniciou estudos, junto a secretaria de patrimônio e cultura, da música nas manifestações culturais de Pernambuco. No ano de 2014 assumiu a direção artística/musical do projeto social Orquestra Criança Cidadã sediado na cidade do Recife-PE. Trabalho esse que vem dando notoriedade aos grupos representativos da Orquestra Criança Cidadã, com colaborações de artistas renomados – Spok, Silvério Pessoa, Nando Cordel, Alcymar Monteiro, Elba Ramalho e Lenine. No âmbito internacional a OCC tem ganho grande respeito por suas apresentações para o Papa Francisco e o Primeiro Ministro de Portugal Passos Coelho, bem como apresentações importantes na sede da ONU-EUA, e na Catedral de Santi Silvestro e Martino-Roma. Desde 2013 ingressa o renomado grupo instrumental Paraibano – Quinteto da Paraíba – onde desenvolve uma linguagem musical que vai além da tradicional sonoridade camerista, sempre buscando novos sons e novas possibilidades.

^ voltar

LIMA, Robson

Iniciou sua carreira ainda criança como autodidata. Aos 11 anos ingressou na banda de música da cidade de Maranguape-CE, onde hoje é maestro. Concluíu o curso de licenciatura plena em música pela Universidade Estadual do Ceará, Robson dedica-se a música de câmara e a música sinfônica. Vencedor do Concurso Jovens Solistas e Regentes 2009. Em 2010 foi recebeu bolsa de estudos do Conservatório de Música de Briançon-França, onde obteve o CERTÍFÍCAT D´ETUDES MUSÍCALES, com os títulos de L’unanimité avec les félicitations. Atuou como solista frente à Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho e da Orquestra Sinfônica dos Alps do Sul – França e Orquestra de Câmara dos Alps – França, sob a direção de Jean-Christophe Keck. Integrou o grupo de Trompa Alpina Les Briançonneurs e o grupo de metais Alpbrass-França. Hoje é maestro da Big Band UNIFOR, trompista do quinteto Sopro Cearense e integrante do grupo Syntagma – Fortaleza- CE.

^ voltar

LUZ, Rafael

Doutor pela Universidade de Toronto no Canadá, Mestre pela Aaron Copland School of Music em Nova Iorque, formou-se em Composição e Regência pela Faculdade de Artes Alcântara Machado em São Paulo. Com grande experiência tanto no repertório operístico como no repertório sinfônico. Maestro Luz mantem uma agenda ativa atuando como convidado em diversas orquestras do Canadá, Estados Unidos e Brasil. Atuou como Diretor Musical da Orquestra Sinfônica de Jericoacoara, regente assistente do Departamento de Ópera da Universidade de Toronto, Banff Centre for the Arts e da Orquestra Sinfônica de New Britain. Atualmente é Diretor Musical da North York Concert Orchestra no Canadá e pelo 8˚ ano integra o corpo docente do Festival Eleazar de Carvalho.

^ voltar

MEDEIROS, Xisto

Xisto Medeiros é natural de Patos/PB, e pertence a terceira geração de músicos da família Medeiros. Cantor, compositor, contrabaixista, arranjador e produtor. Iniciou seus estudos musicais aos 13 anos sob a orientação do seu tio João Linhares e do professor Hector Rossi. De lá para cá, acumulou uma série de vivências e dividiu palco com grandes nomes da música. Em 2010, lançou seu primeiro CD solo “Prana”, apontado pela crítica local como “uma obra-prima da música paraibana”, com canções suas e de parceiros como Lúcio Lins, Hildeberto Barbosa Filho, Zé Lins do Rego, Astier Basílio, Acilino Madeira, Pedro Osmar e Edônio Alves. Seu CD recebeu importantes críticas no meio musical, tanto pela qualidade poética das letras, quanto pela qualidade sonora dos arranjos bem trabalhados e definidos. Atualmente, Xisto Medeiros é professor de contrabaixo elétrico e acústico da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e ocupa o cargo de I contrabaixo da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB). Também integra os grupos Quinteto da Paraíba; JPSax e Quarteto de Baixo Elétrico da Paraíba (Paraibass).

^ voltar

MISIUK, David

Bacharel pela Faculdade Mozarteum de São Paulo, com especialização em instrumento (trompa). Compôs o naipe de trompa das principais orquestras de São Paulo, em destaque para Oquestra Experimental de Repertório, Sinfônica de Santo André, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica de Sorocaba. Exerce intensa atividade camerística atuando em diversos Centros Culturais e Teatros do Circuito Cultural Brasileiro, integrando o Brasilis Ensemble, Quinteto Pedro e o Lobo, além de promover trabalhos artísticos de formação de plateia. Atualmente integra a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo.

^ voltar

MORENO, Sandoval

Mestre em Música pela UFPB na área de Praticas Interpretativas – TROMBONE, com orientação dos Profºs Radegundis Feitosa (in memória) e Ayrton Benck , Bacharel em Música pela UFPB. Professor da UFPB das disciplinas de TROMBONE E PRÁTICA DE BANDA desde 1986. Participou de importantes Festival de Música no Brasil, Estados Unidos, América do Sul e Europa . Fundador e regente titular da Banda Sinfônica “José Siqueira” da UFPB, Quarteto de Trombones da Paraíba. Tocou em importantes orquestras brasileiras como: Sinfônica da Paraíba, Sinfônica do Rio Grande do Norte e Sinfônica da Bahia. Exerce intensa atividade camerística com o Quarteto de Trombones da Paraíba e o Braziliam Trombone Ensamble se apresentando em festivais de música no Brasil e no Exterior como Artista Weril. Atualmente é trombonista da Orquestra Sinfônica da UFPB e Coordenador do Curso de Regência de Bandas e Fanfarra do Departamento de Música da UFPB.

^ voltar

MUNIZ, Sonia

Uma das mais versáteis musicistas brasileiras, já se apresentou como recitalista, camerista e solista de orquestra, incluindo as orquestras nacionais da Polônia e Argentina a da Bayerische Rundfunck em Munique e L´Amoureux, na Salle Pleyel em Paris. Apresentou-se em diversos países da América Latina, Alemanha, Áustria, França, Suíça, Polônia, Canadá e Estados Unidos, não somente nas temporadas de concertos, mas também em festivais, incluindo o de “Outono de Varsóvia” e o de música contemporânea no Lincoln Center. A respeito de sua execução de “Aurora” (para piano e orquestra) de Almeida Prado, o crítico do New York Times Donal Henhan escreveu: “Sonia Muniz, a pianista para quem a obra foi escrita e dedicada, demonstrando uma amável delicada aparência, tocou, no entanto com uma poderosa sonoridade tal qual uma usina de eletricidade, principalmente no incandescente show de acordes no clímax final”. Apresentou-se com artistas famosos como Jacques Klein, Jorg Demus, Boris Berman, Arthur Moreira Lima, Arnaldo Estrella, Eric Friedman, Sydney Hath, Frank Morelli entre outros. Foi agraciada com a medalha Pero Vaz de Caminha e com Colar Anchieta na Câmara Municipal de São Paulo. Foi professora da Escola Municipal de São Paulo desde o ano de sua fundação e Diretora da mesma instituição. Formada pela Academia de Viena na classe de Dieter Weber e pela Universidade de Hartford Classe Paul Rutman, Sonia Muniz fez seus estudos no Brasil com Magda Tagliaferro e Guilherme Fontainha juntamente com seu marido, o saudoso Maestro Eleazar de Carvalho, criou e organizou os Festivais de Campos do Jordão, Gramado, João Pessoa e Itu. Após a morte de Eleazar, Sonia Muniz tornou-se a Diretora Artística do Festival, tornando assim possível manter os mesmos ideais do maestro. Em 1997 dirigiu a semana Guiomar Novaes em São João da Boa Vista tendo introduzido nesta semana o primeiro concurso de piano para jovens solistas, recebendo do Secretário da Cultura, Dr. Marcos Mendonça o diploma de “Parceiros da Cultura” por sua eficiente atuação no desenvolvimento de ações culturais. Teve parte ativa nas transmissões ao vivo pela Rádio Cultura FM das óperas do Metroplitan Ópera MET. Recentemente atuou como solista da Americam Simphony nos Estados Unidos, sob a regência de Leon Botstein. Desde 1999 dirige o Festival Internacional de Música Eleazar de Carvalho em Fortaleza Criou a primeira Escola de Música de Iguatú, cidade natal de Eleazar de Carvalho, tendo recebido da Câmara Municipal o título de Cidadã Iguatuense . Em maio de 2011, recebeu a comenda Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes.

^ voltar

OKAY, Marcelo

Natural de São Paulo, iniciou seus estudos de piano com Yolanda Barsotti. Ainda no Brasil estudou com Cláudio de Brito, concluiu seu bacharelado pela USP na classe de Gilberto Tinetti e antes de sua ida a Europa estudou com Sonia Muniz que o ajudou a ingressar na Academia de Música de Viena, ocasião em que foi solista da OSESP e Sinfônica de Porto Alegre. Seu diploma em Lid und Oratorium e Mestrado em canto foi realizado no Conservatório de Viena. Seus professores de canto foram Hannelore Feigl, Hilda de Groote, Daniela Egg e Sona Gahzarian. Atualmente é professor de Canto no FSK da Universidade Siegmund Freud em Viena. Desde 1999 é professor de Técnica Vocal no Festival Eleazar de Carvalho em Fortaleza. Como cantor foi solista frente a grandes orquestras. Integrou também o Conjunto de Música Antiga Consortium Margaritari. Entre suas apresentações em operetas destaque para Roland da “Die Landstreicher” de K.M. Zieher, Armando da “Maske in Blau” de F. Raymond, Paul da “Der Opernball” de R. Heuberger dentre outros.

^ voltar

PACHECO, Diogo

Natural de São Paulo, Diogo Pacheco regeu mais de mil concertos. Vencedor em 1960 de concurso nos Estados Unidos. Juntamente com Seiji Osawa foi mais tarde convidado pelo maestro Eleazar de Carvalho para ser seu assistente na OSESP. Foi Regente Titular e Diretor Artístico da Orquestra Sinfônica do Recife. Regeu todas as principais orquestras brasileiras. Foi Diretor Artístico da Faculdade de Música da Fundação Armando Alvares Penteado, Fundador do Coral do Club Athlético Paulistano. Realizou eventos ao ar livre por todo o Brasil. Manteve por dezoito anos um programa na Radio Eldorado de São Paulo. Na televisão foi apresentador do programa “Ligue para um clássico” da TV Cultura, “Concertos Internacionais” da Rede Globo e apresentador da Bravo Brasil, TV por assinatura. Foi diretor artístico de temporadas líricas do Teatro Municipal de São Paulo. Professor de matérias teóricas da Escola Livre de Música, e do Interior do Estado de São Paulo. Fundou mais de cinquenta corais e desenvolveu atividades jornalísticas nos jornais “O Estado de São Paulo”, “Jornal da Tarde” e revista “Veja”, nunca deixando, porém, sua carreira de regente. Nas óperas que dirigiu no Brasil, modernizou suas apresentações convidando diretores de teatro para encená-las. Recebeu o Prêmio Governador do Estado, o Prêmio Saci em 1966 pela música do filme “Vereda da Salvação” de Anselmo Duarte. Agraciado com o grau de comendador pela Ordem do Mérito Cultural, pela Ordem do Ipiranga no grau de comendador e Premio Eleazar de Carvalho pelo Ministério da Cultura. Indicado, por “notório saber” para professor nos cursos de bacharelado em música, pelo Conselho Federal de Educação do Ministério da Educação e Cultura em 1982. Professor de regência e matérias teóricas das Faculdades de Artes Alcântara Machado e da Faculdade de Música de São Caetano do Sul e da Escola Livre de Música, de São Paulo. Em 1964 foi o responsável pela apresentação da cantora Elizeth Cardoso no Teatro Municipal de São Paulo e do Rio de Janeiro. Representou o Brasil nos Festivais de Música de Praga e de Varsóvia. Recebeu bolsas de estudos do Departamento de Estado norte-americano. Divulgador de música antiga e contemporânea foi responsável por primeiras audições desde 1954 quando fundou com Alfredo Mesquita, Gianni Ratto e outros, o Movimento Ars Nova.

^ voltar

RABELO, Romeu

Romeu Rabelo, é graduado e mestre em performance pela UFMG, onde atualmente é professor. Fagotista e contrafagotista da OSESP, atua também como convidado das Orquestras Filarmônica e Sinfônica de Minas Gerais. Foi solista da OSMG, Orquestra de Ouro Branco, Orquestra de Câmara SESIMINAS e Orquestra do Festival de Música de Santa Catarina. Leciona no projeto NEOJIBA- Bahia e no Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora. Integra o quarteto de Fagotes da OSESP e o Trio “Madeiras”.

^ voltar

REZENDE, João Luiz

Violonista, arranjador e compositor, João Luiz começou tocando música brasileira na infância e pouco depois começou seus estudos de violão com Henrique Pinto. Enquanto aluno de Henrique Pinto, João Luiz gravou dois Cds como membro do Violão-Câmara-Trio. Integrante do Brasil Guitar Duo ao lado do violonista Douglas Lora, duo que venceu o prestigiado Concert Artists Guild em Nova Iorque com gravações aclamadas pela critica especializada. Por cinco anos João integrou o quarteto de violões Quaternaglia com quem gravou dois Cds e um DVD. Como solista e professor, Joao aparece como membro dos Festivais Eleazar de Carvalho no Brasil, Faculdade Santa Marcelina, Mannes College em Nova Iorque e recentemente como jurado no Heinsberg Festival and Competition na Alemanha. Cursando o mestrado na Mannes College de Nova Iorque, teve como professores Michael Newman e Frederic Hand. Seus arranjos têm sido gravados e executados por Marina Piccinini, Fabio Zanon, Paulo Martelli, Marco Pereira, Na Ozzetti, Paquito D’Rivera, Parker String Quartet, duo Siqueira-Lima e duo Newman & Oltman. Estreou no Festival de Aspen em 2010 como membro do Brasil Guitar Duo em um programa apresentando seus arranjos para obras de J.S.Bach, Villa-Lobos, Milhaud e Piazzolla. Se apresenta regularmente em Festivais como New York River to River Festival, The Gran Teton Music Festival, Chautauqua Institution, Bermuda Guitar Festival, entre outros. Apresentou-se também no Carnegie Hall, Weil Recital Hall, Mannes Guitar Seminar, Symphony Space, New York Guitar Society. Foi solista com as orquestras americanas Dallas Symphony, Houston Symphony, Lancaster Symphony, Philarmonic of Americas (NY) e com a OSESP.

^ voltar

REZENDE, Renan

Natural de João Pessoa, é mestre em musicologia e bacharel em flauta transversal ambos pela Universidade Federal da Paraíba. Na área pedagógica, foi professor de flauta no II Festival Internacional de Música de Campina Grande e professor substituto de flauta da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Exerce intensa atividade camerística com o Quinteto Latino-Americano de Sopros da Paraíba, quando teve a oportunidade de se apresentar em mais de 85 cidades em todo Brasil em turnê do Projeto Sonora Brasil. Atuante também na cena da música popular e acompanha frequentemente os mais diversos artistas. Atuou como principal flautista da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa de 2009 a 2016 e como flautista convidado da Orquestra Sinfônica da Paraíba nas temporadas de 2008 a 2014. Atua como flautista colaborador da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Paraíba desde 2013.

^ voltar

RIVA, Angelica de La

Angelica de la Riva é reconhecida internacionalmente por sua bela voz e interpretações marcantes. A artista, com apresentações no Carnegie Hall e no Avery Fisher Hall, ambos de Nova York, também realizou concerto em Paris com a Orquestra Filarmônica de Praga – República Tcheca e foi acompanhada pela Orquestra Sinfônica de Shenzhen, na China, entre outras grandes audições. Em 2014 foi agraciada com o Mérito Cultural Carlos Gomes, pelo seu trabalho na divulgação da música erudita brasileira ao redor do mundo.

^ voltar

RUTMAN, Paul

Paul Rutman apresentou-se nas salas de concerto mais importantes do meio artístico tais como Carnigie Hall, Orchestra Hall em Chicago,Los Angeles Ambassador Auditorium. The Great Hall em Moscou, Theatre des Champs Elysées em Paris, Palais dês Beaux Arts em Bruxelas, Concert Gebauw na Holanda. Se apresentou como solistas frente à importantes orquestras, entre elas: Orquestra de Moscou, St Petersburg, Amsterdan ,Paris O.R.T.F., Filarmônica de Bruxelas sob a regência de Nikolaievich Rajdestvensky ,Mariss Janssons, Lorin Maazel, Eugen Ormandy, Evgeny Svetlanov, Eleazar de Carvalho, Theodor Gushelbauer entre outros. Rutman é premiado no importante Concurso Tchaikovsky em Moscou e no Concurso Margherite Long em Paris. Após seu recital no Carnegie Hall a crítica especializada escreveu: “Rutman é um pianista recriador excepcional cuja artisticidade é comparável com Wladmir Horowitz”. Como bolsista Fullbright estudou dois anos em Paris e ao retornar aos Estados Unidos, doutorou-se em piano pela Juilliard Schooll, sendo o primeiro doutoramento no instrumento conferido por esta prestigiada Escola. Rutman é professor de piano na Hartt Scholl of Music na Universidade de Hartford.

^ voltar

SALTINI, Roberto

Doutor e Mestre em Música (Ph.D. Music Theory e M.M. Performance) pela Universidade Estadual de Nova York em Buffalo (SUNYAB). Atuou como percussionista em orquestras e grupos de câmara tais como RIAS Jugend Orchester, Das Symphonie Orchester Berlin, Atein-Amerika Klänge der Gegenwart, The North American New Music Festival Orchestra, June in Buffalo Chamber Ensemble, Grupo Novo Horizonte. Como solista já se apresentou em importantes festivais tais como Encontro de Compositores Latino-Americanos de Belo Horizonte, Festival de Música Nova de Santos, June in Buffalo, The North American New Music Festival. Atualmente é timpanista da Orquestra Metropolitana de São Paulo e membro do Quarteto Novas Tendências.

^ voltar

SHANKAR, Ravi

Natural de Cabo Frio, Rio de Janeiro, recebeu suas primeiras aulas de oboé na Escola de Música de Brasília. Após concluir seu bacharelado em Música pela Universidade de Brasília, recebeu seu Künstlerische Ausbildung pela Escola Superior de Música de Rostock, Alemanha, obtendo posteriormente o título de Mestre em Performance Musical pela Universidade Federal de Minas Gerais, onde atualmente cursa seu Doutorado. Integrou diversas orquestras no Brasil e na Alemanha. Participou como músico convidado do Festival Junge Künstler Bayreuth, do Festival Amazonas de Ópera, do Festival Virtuosi e do Festival Artes Vertentes. Integrou a Orquestra Jovem das Américas em turnê pela América Latina sob a batuta de Gustavo Dudamel e venceu os concursos Jovens Solistas Eleazar de Carvalho e da Orquestra Experimental de Repertório. Desde 2010 é Principal Assistente no naipe de oboés da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

^ voltar

SURIS, Elina

Nascida na Moldávia começou a estudar violino aos sete anos. Aos dez, deu seu primeiro concerto com a Filarmônica Nacional da Moldávia. Aos 15, recebeu o 1º Prêmio no Concurso Nacional da Moldávia. Estudou no Conservatório Tchaikovsky de Moscou na classe de E. A. Tchugayeva. Foi spalla da Sinfônica dos Estudantes do Conservatório, primeiro violino do Quarteto da Rádio e TV Moldava, spalla da Filarmônica Nacional da Moldávia e da Sinfônica de Ribeirão Preto. Apresentou-se em países como França, Alemanha e Suíça. Em 1993, foi convidada a lecionar na Academia de Música da Moldávia. Como solista, apresenta os concertos de Beethoven, Brahms, Tchaikovsky e Bach, entre outros. Ingressou na Osesp em 2003 no naipe de violinos.

^ voltar

SILVA, Ulisses

Doutor pela The University of Georgia, mestrado com distinção pela The University of New Mexico, graduado pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), sob orientação do professor Dr. Emerson De Biaggi. Vencedor do Concurso Jovens Instrumentistas de Piracicaba em São Paulo, Concerto Competition e da audição de viola da Santa Fe Symphony. Recebeu bolsa de estudos da Fundação VITAE e em 2006 recebeu bolsa integral para participar do Festival de Música de Aspen com o violista John Graham. Ulisses Silva vem desenvolvendo uma carreira extensiva no âmbito acadêmico e prático a partir de seu doutorado em viola na Geórgia, quando foi professor assistente da classe de viola por um ano. Participou como professor de diversos festivais tanto nos EUA como na América do Sul. Atuou como chefe de naipe de diversas orquestras nos EUA como a The Macon Symphony, a The Ocmulgee Symphony, e a The University of Georgia Symphony Orchestra, The New Mexico Symphony por dois anos onde tocou com renomados maestros e solistas tais como YoYo Ma, Midori e Van Cliburn. Durante o mestrado também foi chefe de naipe da The University of New Mexico Symphony Orchestra. Exerce Intensa atividade como camerista, integrando desde agosto de 2016, o Quinteto da Paraíba e vem se apresentando com o grupo em diversas salas pelo Brasil. Atualmente além das atividades como professor do Departamento de Música da UFPB, é chefe de naipe e solista de orquestra.

^ voltar

VITTA, Rodrigo

É mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP e bacharel em Composição pela FIAMFAAM. Vitta é maestro da Orquestra Metropolitana, da Camerata Acadêmica FIAMFAAM, pianista do quarteto Novas Tendências e professor de composição e regência da Universidade FIAMFAAM. Seus prêmios em composição foram no Concurso TINTA FRESCA em 2015, em 2005 no Concurso Nacional de Composição Claudio Santoro, em 2001 no Concurso Nacional de Composição para Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e em 2000 no Concurso Nacional de Composição, em Recife. No ano de 2010, em Monte Carlo, no Principado de Monaco, no Theatre des Varietés, sua música “CAJA” do álbum “Série de Frutas Brasileiras”, foi abertura do espetáculo de dança “Vibrations. Le Voix de La danse”, interpretado pelo Choeur e Orchestra de Chambre e Ballets de Monte-Carlo e em 2008, regeu o “III Festival Lírico” em Montevideo/URU no Teatro Solis com a Orquestra Filarmônica de Montevideo.

^ voltar