Artistas

Sonia MUNIZ


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/sonia_muniz.jpg[/picture_frame]


Uma das mais versáteis musicistas brasileiras, já se apresentou como recitalista, camerista e solista de orquestra, incluindo as orquestras nacionais da Polônia e Argentina, a da Bayerische Rundfunck em Munique e L´Amoureux, na Salle Pleyel em Paris. Apresentou-se em diversos países da América Latina, Alemanha, Áustria, França, Suíça, Polônia, Canadá e Estados Unidos, não somente nas temporadas de concertos, mas também em festivais, incluindo o de “Outono de Varsóvia” e o de música contemporânea no Lincoln Center. A respeito de sua execução de “Aurora” (para piano e orquestra) de Almeida Prado, o crítico do New York Times Donal Henhan escreveu: “Sonia Muniz, a pianista para quem a obra foi escrita e dedicada, demonstrando uma amável delicada aparência, tocou, no entanto com uma poderosa sonoridade tal qual uma usina de eletricidade, principalmente no incandescente show de acordes no clímax final”. Apresentou-se com artitas famosos como Jacques Klein, Jorg Demus, Boris Berman, Arthur Moreira Lima, Arnaldo Estrella, Eric Friedman, Sydney Hath, Frank Morelli entre outros. Foi agraciada com a medalha Pero Vaz de Caminha e com Colar Anchieta na Câmara Municipal de São Paulo.


Foi professora da Escola Municipal de São Paulo desde o ano de sua fundação.e Diretora da mesma instituição. Formada pela Academia de Viena na classe de Dieter Weber e pela Universidade de Hartford Classe Paul  Rutman, Sonia Muniz fez seus estudos no Brasil com Magda Tagliaferro e Guilherme Fontainha Juntamente com seu marido, o saudoso Maestro Eleazar de Carvalho, criou e organizou os Festivais de Campos do Jordão, Gramado, João Pessoa e Itu. Após a morte de Eleazar, Sonia Muniz tornou-se a Diretora Artística do Festival, tornando assim possível manter os mesmos ideais do maestro. Em 1997 dirigiu a semana Guiomar Novaes em São João da Boa Vista tendo introduzido nesta semana o primeiro concurso de piano para jovens solistas, recebendo do Secretário da Cultura, Dr. Marcos Mendonça o diploma de “Parceiros da Cultura” por sua eficiente atuação no desenvolvimento de ações culturais. Teve parte ativa nas transmissões ao vivo pela Rádio Cultura FM das óperas do Metroplitan Ópera MET. Recentemente atuou como solista da Americam Simphony nos Estados Unidos, sob a regência de Leon Botstein. Desde 1999 dirige o Festival Internacional de Música Eleazar de Carvalho  em Fortaleza Criou a primeira Escola de Mùsica de Iguatú, cidade natal de Eleazar de Carvalho,tendo recebido da Câmara Municipal o título de Cidadã Iguatuense . Em maio de 2011, recebeu a comenda Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes.

Emilio De CESAR


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/curriculum/emilio_de_cesar_2.jpg[/picture_frame]
Natural do Rio de Janeiro, formou-se em Regência, Composição e Canto pela Universidade de Brasília e no Robert Schumann Institut (Universidade de Colônia, Alemanha), com o professor Hans Kast, regente e diretor da ópera daquele Instituto, antigo assistente de Herbert von Karajan.  Foi  Regente Titular , do Coral Evangélico de Brasília e Presidente da Associação Brasileira de Regentes de Coros – ABRC. Foi Professor de Regência Coral e Responsável pelo Departamento Coral dos Festivais Eleazar de Carvalho, promovido pela- FUNDEC, na cidade de Itu. A partir de 1999 o Festival é realizado na cidade de Fortaleza/CE.


Foi o Regente Titular da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e, da Orquestra Filarmônica de Goiás. Foi também Regente Permanente da Orquestra Sinfônica de Brasília - FOSB. Tem regido várias orquestras no Brasil e no exterior.entre elas  Philharmonische Gesellschaft Düsseldorf, na Alemanha; Orquestra de Córdoba, na Argentina;Sinfônica do Paraguai; Orquestra Sinfônica Nacional de Costa Rica, e a Orquestra Sinfônica de Sheboygan e Manitowoc, no Estado do Wisconsin, nos Estados Unidos.


Em Portugal regeu várias orquestras. Realizou várias primeiras audições mundiais de obras de compositores brasileiros. Classificou-se como compositor no XXV Concurso Internacional Gian Batista Viotti, em Vercelli, Itália. Societá del Quarteto (1974) e 2º Colocado no Festival de Música Sacra de Brasília, com a música “Adoração”.


Foi regente de vários corais excursionando com os mesmos pelo Brasil e exterior com os mesmos recebendo o 1º lugar no Concurso de Coros em Brasília e finalista do Concurso Internacional de Coros na França em 1992 e também o 1º lugar no Concurso Nacional de Coros da FUNART.
Com o Coral Brasília realizou várias excursões nacionais e internacionais, e no Concurso Nacional de Coros da Funarte,  classificou-se em 1º lugar. Gravou o 2º CD do Madrigal de Brasília, e também o 1º CD do Coral Evangélico de Brasília.


Possui o título de Cavaleiro do Grão-Mestre da Ordem do Mérito Brasília e o de Comendador do Grão-Mestre da Ordem do Mérito Cultural do Distrito Federal. Recebeu o título de Cidadão Honorário de Brasília; o diploma da Ordem dos Músicos do Brasil, Conselho Regional do Distrito Federal pelos relevantes serviços prestados à Classe Musical; o Diploma de “Láurea Medalha do Mérito Carlos Gomes”, concedido pela Academia de Letras e Música do Brasil. É membro da Academia de Letras e Música do Brasil, na cadeira de n.º 54, de Assis Republicano

Claudio MICHELETTI


Formado em 2004 na Liszt Ferenc Academy of Music em Budapeste, Claudio Micheletti estudou com a professorea Eszter Perenyi. Iniciou seus estudos na Escola de Música de Piracicaba em 1986. Estudou mais de dez anos com Elisa Fukuda e em 2000, formou-se pela Unesp na classe de Airton Pinto.
Vencedor dos concursos Jovens Solistas da OSESP E OER, obteve o II lugar no X Premio Eldorado de Música. Participou de Master Classes com os violinistas Chaim Taub, Boris Belkin, Dmitri Sitkovetzki, Salvatore Avvardo entre outros. Atualmente é spalla da OSUSO E OER

Ariel SANCHES


Nascido em São João da Boa Vista, Ariel Sanches iniciou seus estudos aos seis anos de idade. Ingressou na Orquestra Sinfônica de Poços de Caldas aos doze e aos dezesseis já atuava como spalla. Em São Paulo, recebeu orientação de Emmanuele Baldini e Elisa Fukuda. Participou como músico convidado das orquestras Sinfônica da USP, Jazz Sinfônica do Estado de SP e Filarmônica de São Bernardo do Campo. É integrante da Orquestra Experimental de Repertório e da Camerata Fukuda.

Emerson Juliano Aguiar TEIXEIRA


Bacharel em Trombone pelo Departamento de Música da ECA-USP, na classe do professor Donizeti Fonseca, estudou teoria e instrumento na Escola de Música de Piracicaba Dr. Ernst Malhe. Atuou como trombone solo da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica de Santo Andre, Orquestra Experimental de Repertório. Participou de várias Orquestras do cenário da música popular, Osmar Milani, Silvio Mazuca e Orquestra Sam Pops (Piracicaba), excursionou com o Cantor Daniel de 1997 a 2003.Atualmente é músico solista da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo, e membro fundador do Quinteto de Metais Brassampa, grupo de trombones Ernest Malhe, na área pedagógica desenvolve um trabalho com a Orquestra Jovem de Piracicaba.

Tânia Camargo GUARNIERI
[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/tania_camargo_guarnieri.jpg[/picture_frame]


Natural de São Paulo, Tânia é filha de Camargo Guarnieri, um dos mais importantes compositores da nossa era. Estudou com Lola Benda, Alberto Jaffé e Jerzy Milewski. Recebeu o primeiro prêmio no IV Concurso Jovens Instrumentistas do Brasil, venceu o Concurso Novos Talentos. Caldeira Filho, crítico musical afirmou: Tânia apresenta-se com porte de artista experimentada, consciente e firme na sua própria personalidade: a atuação em público é segura e calma. Seu idioma violinístico, se assim se pode dizer, é objetivo, preferentemente brilhante. Tem espontaneidade, poder de comunicação e sinceridade. Jovem - 15 anos – seu talento é um diamante de primeira água [...] Não lhe faltam subjetivismo e dom da meditação lírica. Caldeira Filho  Foi considerada Artista Revelação do Ano pela Associação Paulista de Críticos de Arte e venceu o concurso Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Recebeu uma bolsa de estudos para a Universidade de Wisconsin em Miwaukee, onde foi orientada por Leonard Sorkin, Gerald Fischerbach e Ralph Evans. Venceu o Concurso Delta Omicron e foi agraciada com o Talent Award Leonard Sorkin pela Universidade de Wisconsin. Estudou viola com Jerry Horner e participou de Master Classes de grandes músicos. Tem se apresentado por todo Brasil.Foi solista de várias orquestras. Gravou as Sonatas para violino e piano de Camargo Guarnieri, tendo Laís de Souza Brasil ao piano. Com o violonista Marco Pisoni, lançou o CD “Henosis”, com obras de Paganini e transcrições de obras de Camargo Guarnieri.
Gravou ao vivo o concerto “Chamego”, para violino, violão e orquestra, de Jaime Zenamon, com o violinista polonês Krzysztof Pelech, sob regência de János Ács. As seis Sonatas para violino e piano de Camargo Guarnieri, tiveram critica elogiosa.  Desde 1996 reside na Itália, onde desenvolve intensa atividade. Mantém um duo com o violonista Francesco Biraghi e se apresenta com vários pianistas, entre os  quais Laís de Souza Brasil, Maria di Pasquale e János Ács. Atua em várias formações de câmara, também como violista. Apresentou-se em Israel, Hungria, Espanha, França, Alemanha, Estados Unidos, Portugal, Síria, Albânia e Sérvia. Tânia toca em um violino Carlo Bergonzi de 1733.

Yaroslav KARGIN


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/yaroslav_kargin.jpg[/picture_frame]


Como solista, músico de câmara e de orquestras, Yaroslav Kargin apresentou-se em Moscou, St. Petersburg e em muitas cidades da Rússia e da ex-URSS, Japão, China, França, Grã-Bretanha, Irlanda, Bégica, Holanda, Espanha, Alemanha, Republica Checa, Hungria, E.U.A., Brasil e Argentina.
Mr Kargin tem realizado concertos com maestros de renome e entre eles Eugeny Svetlanov, Kurt Masur, Temirkanov Yury, Valery Gergiev, Mstislav Rostropovich, Vladimir Spivakov, Isaac Stern, Montserrat Caballe, Kissin Eugeny, Bashmet e Yuri. Mr Kargin. Estudou no conservatório Tchikovsky de Moscou.


Atualmente, está realizando solo e música de câmara e com orquestras sinfônicas e outros grupos em Nova York, incluindo Philadelphia Virtuosi, Young Solistas de Nova York, na New Inglant Orquestra, e os New Haven Space. Mr. Kargin lecionou na Academia Russa de Música Gnessis, na Escola de Música da Universidade de Yale e no Interlochen Centro de Artes.

Aliaksandr ZNACHONAK


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/aliaksander_znachonak.jpg[/picture_frame]


Iniciou os seus estudos de violoncelo com seis anos de idade, na classe de Natália Diakonova. Em 1994 termina o mestrado em violoncelo na Academia Superior de Música de Minsk, na classe de Yevgeny Ksaveriev, com classificação máxima.


Participou em Master classes de Mtislav Rostropovich, Natália Shahovskaya, Igor Gavros, Eleanora Schoenfeld, Dimitri Ferschtman, Mickail Khomitzer e Marina Chaikovskaia, entre outros.
Como solista, tocou com a Orquestra Sinfônica e Orquestra de Câmara Bielorrussa, Orquestra Sinfónica de Karlovy Vary, Orquestra da Academia Superior de Música de Sarajevo, Orquestra Filarmónica de Sarajevo, Orquestra AIDIMOS, Orquestra EPMVC, Orquestra da Póvoa de Varzim, Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, entre outras.


É laureado dos concursos “Jovens  Solistas da Bielorrúsia”,  Solistas  da Bielorrússia, Jovens Solistas da União Soviética, Competição Internacional Schveningen, de Haag, Holanda (Menção Honrosa 1991);Concurso Internacional Solistas AIDIMOS.


Participou de vários festivais, destacando o Festival de Música “Schleswig-Holstein” - Alemanha; Academia Internacional  de Música “Mozarteum” - Áustria; Festival de Música de Câmara de Belfort - França; Academia Internacional AIDIMOS - Bósnia; Festival de Música de Curitiba - Brasil.
Trabalhou como Chefe de Naipe/Solista com as Orquestras Sinfónica Bielorrussa, Filarmônica de Sarajevo, Bósnia e Hercegovina, “Bretagne” Rennes, França, do Algarve, e Póvoa de Varzim. Trabalhou na na Escola Profissional de Música de Viana do Castelo(1999-2010).
Realizou Master classes em Portugal, e no Brasil, nos Festivais de Curitiba, e  XIII Festival Eleazar de Carvalho em Fortaleza. Fez varias gravações no Rádio Nacional da Bielorussa ,da Bósnia-Hercegovina, e de Portugal. Atualmente reside em Portugal, onde tem realizado recitais  de Música de Câmara e de violoncelo solo, sendo chefe de Naipe da Orquestra Filarmonia das Beiras(Aveiro).Lecciona violoncelo na Universidade de Aveiro

Dennis PARKER


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/dennis-parker.jpg[/picture_frame]


Professor de Violoncelo e Coordenador da Cadeia de Música de Câmara) nasceu em Nova York e começou seus estudos de violoncelo aos seis anos de idade.


Recebeu seu primeiro treinamento com Channing Robbins da Juilliard School, e mais tarde formou-se pela Universidade de Indiana e da Universidade de Yale, onde trabalhou com Janos Starker e Aldo Parisot, respectivamente.


Inspirado por uma variedade de atividades musicais, Parker aparece frequentemente como solista, recitalista, colaborador e professor convidado em várias universidades e festivais.


Ele está ativamente envolvido na expansão do repertório para violoncelo existente, e transcreveu muitas obras para seu instrumento. Desde 1988, a Parker atuou como Professor de Violoncelo e Música de Câmara de Cordas da Escola Louisiana State University of Music. Um ex-membro da Orquestra Sinfônica de Detroit, Parker também atuou como violoncelista principal da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, em Porto Alegre, Brasil.

Jefferson PEREZ


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/curriculum/jefferson_perez.jpg[/picture_frame]
Bacharel em Música pela Unesp/SP, na classe de Zygmund Kubala. Recebeu o 1º Prêmio e prêmio de "Melhor Música Brasileira" no Concurso Nacional de Música de Câmara de Araçatuba" junto ao Musicum Trio e em 2010 foi Laureado na Oficina de Música de Curitiba.


Participou do Festival Amazonas de Ópera" da Amazonas Filarmônica,e dos Festivaisl de Campos de Jordão,de Maringá,de Artes de Itu. da Oficina de Música de Curitiba e  do “Rio International Cello Encounter”, tendo aulas com Antonio Meneses, Fred Pott (Holanda), Roman Mekinulov (Rússia), Antonio Del Claro, Alexander Znachonak (Bielorrússia) e Cláudio Jaffé.


Como docente, lecionou em  importantes Festivais de música no Brasil como: Festival de Artes de Itu, no Curso de Inverno do Projeto Camerata" e na Semana da Música Maestro Gaó".
Atuou como solista das Orquestras: Sinfônica de Sorocaba, Sinfônica Jovem de Tatuí, Acadêmica do Festival de Artes de Itu e de Câmara de Salto.


Desenvolve intensa atividade camerística junto ao Quarteto Sorocaba e junto ao Musicum Trio, único grupo da América Latina escolhido para o “6th International Joseph Joachim Chamber Music Competition” (2012), organizado pela Hochschule für Musik Franz Liszt em Weimar, Alemanha.
Atualmente é professor de violoncelo no Conservatório de Tatuí e no Instituto Municipal de Música de Sorocaba, primeiro violoncelo na Orquestra Sinfônica de Sorocaba e primeiro violoncelo convidado da Sinfônica do Conservatório de Tatuí.

Paulo Lombardi BRUCOLI


Pianista do Aulustrio e cursa o quarto ano de bacharelado em nstrumento no Instituto de Artes da UNESP.


Destaca-se como uns dos principais jovens talentos do Brasil em recitais de piano solo e música de câmera. É pianista da orquestra de tango “De Puro Guapos” com a qual participa de gravações e shows pelo Brasil e Argentina.


Foi aluno dos professores Homero Magalhães, Isabel Mourão, Antônio Bezzane e Diana Kacso. Fez cursos de interpretação com os professores Fernando Lopes, Flávio Varani, David Witten e Serguei Dukachev.


Juntamente com seus irmãos, Fábio e Mauro integra o Trio Aulus num excelente trabalho. Além de pianista Paulo Brucolli é também contrabaixista, atuando nas principais orquestras sinfônicas da cidade de São Paulo e convidado a participar como professor do instrumento em festivais.

Edson BELTRAMI

Natural de São Paulo, recebeu seus primeiros estudos musicais primeiro com seu pai e depois no Conservatório de Tatuí, com João Dias Carrasqueira, no curso de flauta.


Vencedor de importantes concursos como: Concurso Jovens instrumentistas do Brasil, Concurso Solistas da Orquestra Sinfônica do Estado – SP.


Como flautista solo, atuou junto  as mais importantes orquestras do país: OSESP, Orquestra Jovem do Estado, Orquestra Sinfônica de Tatuí, Rádio MEC Orquestra Sinfônica do Rio de Janeiro.


Trabalhou com os maestros: Eleazar de Carvalho (BRA.-EUA), Gerard Devos (Fr.), Hans Martin Schneidt (RFA), Isaac Karabitchevsky (BRA.), Benito Juarez (BRA.) Desenvolver uma carreira intensa como compositor flautista e maestro,. Participou do “Festival de Inverno de Campos do Jordão”, como condutor Festival Orchestra (1993) e é, desde 1994 , o maestro da Banda Sinfônica do Festival.
Como compositor, tem suas obras incluídas em programas de orquestras  de seu país  e outros  como EUA, Austrália, África, toda a América do Sul e Europa. É professor de flauta no Conservatório de Tatuí-São Paulo e flauta Principal da Orquestra Bachiana Filarmônica – SP.

David MISIUK


Iniciou os estudos de trompa em 1982, na Escola Municipal de Música de São Paulo, sob orientação do Professor Enzo Pedini.


Bacharel pela Faculdade Mozarteum de São Paulo, com especialização em instrumento (trompa).
Compôs o naipe de trompa das principais orquestras de São Paulo, em destaque para Oquestra Experimental de Repertório, Sinfônica de Santo André, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica de Sorocaba.


Exerce intensa atividade camerística atuando em diversos Centros Culturais e Teatros do Circuito Cultural Brasileiro, integrando o Brasilis Ensemble, Quinteto Pedro e o Lobo, além de promover trabalhos artísticos de formação de plateia. Atualmente integra a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo.

Derick HELISTON


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/derick_heliston.jpg[/picture_frame]


Nascido em Brasília, estudou com o trompetista Marcos Santos e ingressou na Escola de Música de Brasília aos 10 anos.


Aos 13 anos, tocou o Concerto Para Dois Trompetes de Vivaldi com a Banda Sinfônica da Ceilândia sob a regência do maestro Antonio Felix.


Aos 16 anos foi vencedor estadual e finalista nacional do programa Furnas Geração Musical no Rio de Janeiro.


Atualmente está sob a orientação do professor Russell DeVuyst da McGill University-Canadá. É trompetista da Orquestra Filarmônica de Brasília, Banda Sinfônica de Brasília, do quinteto de metais BSBrass, e trompete assistente da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro (OSTNCS), além de lecionar no Conservatório de Artes e Música de Brasília.

Adalto SOARES


Natural de Santos, iniciou seus estudos na Banda Municipal de Cubatão com o professor Roberto Farias. É bacharel em trompa pela Faculdade de Música Mozarteum.


Participou de importantes Festivais no Brasil. Em 1986 atuou como primeira trompa na Orquestra Mundial Juvenil, em Varsóvia (Polônia). Participou no VI Prêmio Eldorado de Música e foi vencedor do Concurso Jovens Solistas do Estado de São Paulo. Foi primeira trompa da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas e da Orquestra de Câmara da Universidade Estadual de Campinas. Integrou o naipe trompas da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo e de 1991 a 2002 a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, pela qual atuou em vários Estados do Brasil e da América Latina.
Foi professor de trompa e de regência de banda marcial do Festival de Inverno de Campos do Jordão núcleo Tatuí – 2002.


Como convidado participou de diversas orquestras nacionais e internacionais, gravações, óperas, musicais, conjunto de câmara e de instrumentos de época. Na cidade de Toledo Ohio (USA) participou de curso sobre técnica e construção de trompa natural com Lowell Greer, e workshop sobre fabricação de trompete barroco com Robert Barclay na Universidade de Indiana na cidade de Bloomington-USA. Fez estágio de manutenção de instrumentos de metais com o fabricante Dieter Otto (Alemanha), na Woodwind and Brass Wind em South Bend Indiana e The Brass Bow com o restaurador de instrumentos Wayne Tanabe (Chicago-USA).


Atualmente é professor do Conservatório de Tatuí, construtor e restaurador de instrumento de Metal e diretor do projeto “Crescer com Banda” o qual originou a Banda Marcial “Lyra Tatuí”.

Paul RUTMAN


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/paul_rutman.jpg[/picture_frame]


Paul Rutman apresentou-se nas salas de concerto mais importantes do meio artístico tais como Carnigie Hall, Orchestra Hall em Chicago,Los Angeles Ambassador Auditorium. The Great Hall em Moscou, Theatre des Champs Elysées em Paris, Palais dês Beaux Arts em Bruxelas, Concert Gebauw na Holanda assim como solistas de importantes orquestras. Entre elas Orquestra de Moscou, St Petersburg, Amsterdan ,Paris O.R.T.F., Filarmônica de Bruxelas sob a regência de Nikolaievich Rajdestvensky, Mariss  Janssons, Lorin Maazel, Eugen Ormandy,  Evgeny Svetlanov, Eleazar de Carvalho, Theodor Gushelbauer entre outros


Rutman é premiado no importante Concurso Tchaikovsky em Moscou e no Concurso Margherite Long em Paris. Após seu recital no Carnegie Hall a crítica especializada escreveu: Rutman é um pianista recriador excepcional cuja artisticidade é comparável com Wladmir Horowitz. Como bolsista Fullbright estudou dois anos em Paris, e ao retornar aos Estados Unidos, doutorou-se em piano pela Juilliard Schooll, sendo o primeiro doutoramento no instrumento, conferido por esta prestigiada Escola.


Rutman é professor de piano na Hartt Scholl of Music na Universidade de Hartford.

Marcelo OKAY


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/marcelo_okay.jpg[/picture_frame]


Natural de São Paulo, iniciou seus estudos de piano com Yolanda Barsotti. Mais tarde estudou com Cláudio de Brito, Gilberto Tinetti (USP) e com Sonia Muniz. Como pianista foi solista da Orquetra Sinfônica do Estado de São Paulo – OSESP, executando o Concerto de Lizst para Piano e Orquestra.
Na Academia de Viena estudou na classe da professora Carmem Graf, onde iniciou seus estudos de canto com Hanelore Feigl. No Conservatório de Viena estudou na classe de opereta de Lucia Meschwitz e na classe de canto com Hilda de Groote. Atualmente faz aperfeiçoamento em canto com Sona Gahzarian em Viena. Apresentou-se nas salas Palais Trautson, Castelo de Fran Lehar, Prefeitura de Viena e Stadthalle de Viena. Participou da Abertura “Wien Fest Woche”. Atuou nas encenações Os Gondoleiros de Sulivan, Noite em Veneza de Strauss, Baile da Ópera de Heuberger, Orfeu de Offenbach. Dentro da Música Sacra, solou as Missas de Zelenka, Mozart, Ramirez e Criação de Haydn.


Integra vários grupos de Câmara em Viena e desde 1999 é professor de Técnica Vocal no Festival Eleazar de Carvalho

Marcos ARAGONI


Natural de São Paulo, iniciou seus estudos musicais com sua mãe, Maria Nascimento. Aragoni. Aos 18 anos ingressou na Escola Municipal de Música de São Paulo, na classe da pianista Sônia Muniz. Nesta mesma instituição estudou co-repetição e música de câmara com Marizilda Hein. Cursou bacharelado  em piano na Faculdade Mozarteum de São Paulo, também participou de cursos de especialização na Universidade de Hartford(EUA). Participou de diversos Master class com grandes nomes do piano, cravo, música de câmara e co-repetição .


Tem  atuado como solista e camerista em importantes Salas no Brasil destacando-se: Festival Eleazar de Carvalho em Itú e Fortaleza, Festival do Theatro da Paz, Concurso Bidu Sayao em Belém, Sala Cecilia Meireles, CCBB, Sala São Paulo, Teatro Municipal do Rio de Janeiro entre outros.  Desde 2008 é pianista oficial do Coral Lírico do Teatro Municipal de São Paulo.Tem trabalhado com grandes maestros e solistas abrangendo o repertório de ópera do século XVIII ao XX. Exerceu em São Paulo  atividade como pianista e professor das Escolas Waldorf e Escola Rudolf Steiner. Convidado pelo Itamaraty em projeto coordenado por André Heller,apresentou-se em Lisboa e Paris, tocando a opera “Yerma” de Heitor Villa Lobos em versão Concertante nas homenagens aos 50 anos da morte do compositor.


Atuou também em musicais como pianista My Fair Lady,West Side Story e o Rei E Eu e como assistente de direção musical em Evita, todos produzidos e dirigidos por Jorge Takla. Gravou a obra completa de Jose Guerra Vicente para cello e piano e canto e piano. Em sua discografia, destaca Carta de Jerusalém e Cartas Celeste 11 de Almeida Prado no álbum Materiales  e gravou a Fantasia Concertante de Villa Lobos para Piano Clarinete e Fagote com Opus Brasil, recebendo elogios da critica especializada.

Leila de CARVALHO


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/curriculum/leila_carvalho_de_carvalho.jpg[/picture_frame]


Leila Carvalho de Carvalho, nascida em Anápolis, Goiás, é bacharel em Piano pela Universidade Federal de Goiás. Teve como professores, entre outros, Terezinha Barbosa, Dalva Albernaz, Nise Obino, Míriam Dauelsberg, Joel Bello Soares e Vanda Fleury Amorim. Atualmente é a pianista e correpetidora dos Corais da Igreja Presbiteriana Independente Central de Brasilia – IPICB, do Coral Shekinah da Igreja Cristã Manancial de Vida – ICMV, e do Coral Evangélico  da Associação Cultural e Educacional de Brasilia – ACEB.


Realizou Cursos de Alta Interpretação pianística e Música de Câmara nos principais Festivais do país, além do Curso de Especialização em Interpretação Pianística no Robert Schumann Institut, Düsseldorf, Alemanha, com o Professor Boguslaw Strobel, da Polônia.


Em sua carreira docente, foi professora de Piano, pianista acompanhadora de Corais, como o Madrigal de Brasília, bem como no Departamento de Canto.


Na Alemanha acompanhou em concertos o professor Yamamoto, Trombonista da Orquestra da Rádio de Stuttgart e várias vezes o Coral da Igreja Batista em Düsseldorf. Foi pianista oficial do I Concurso de Violino da Escola de Música de Brasília.


Foi cor-repetidora nas Temporadas de Ópera da Orquestra do Teatro Nacional de Brasília, sob a regência dos maestros Emílio de Cesar, Ivo Cruz, Levino de Alcântara.


Atuou como correpetidora nos principais Cursos de aperfeiçoamentos do Brasil como: Internacional de Verão de Brasília, CIVEBRA Cursos de Inverno de Itu e de Fortaleza.

Rafael LUZ


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/rafael_luz.jpg[/picture_frame]


Iniciou seus estudos musicais em piano aos 6 anos no Conservatório Instituto Normal de Música, onde também estudou violino. Aos 14 foi premiado no concurso para piano Edmundo Villani-Cortes. Bacharel em Regência, sendo orientado por Abel Rocha e Naomi Munakata.


Após ter trabalhado como professor e regente em diversas orquestras jovens e também sendo assistente na Orquestra de Guarulhos, foi então convidado a ser Diretor Musical e regente da Orquestra Sinfônica de Jericoacoara.


Mudou-se para New York em 2008 onde conquistou seu titulo de Mestre em Regência Orquestral sob orientação de Maurice Peress. Durante esse período, maestro Luz trabalhou como regente assistente no Oratorio Society of Queens, e na QC Symphony Orchestra em New York, e na New Britain Symphony Orchestra em Connecticut.


Recentemente mudou-se para Toronto onde desenvolve pesquisa para o termino do doutorado em Regência Orquestral na Universidade de Toronto sob orientação de Sandra Horst.


Desde 2010 faz parte do corpo docente do Festival Eleazar de Carvalho como Assistente de Regência Orquestral. Atualmente trabalha como regente assistente na divisão de opera da Universidade de Toronto, assim como regente convidado na York Symphony e Toronto Orchestra

Sergei Eleazar de CARVALHO
[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/sergei_eleazar_carvalho.jpg[/picture_frame]


Natural de São Paulo iniciou seus estudos aos quatro anos de idade com seu pai, o Maestro Eleazar de Carvalho. Dois anos mais tarde, iniciou seus estudos de violino com José Carlos Lima, Koiti Watanabe e Erich Lehninger. Aos 11 anos, transferiu-se para os Estados Unidos a fim de estudar com a professora Syoko Aki, da Yale University.


Foi vencedor de vários concursos nos Estados Unidos e no Brasil. Convidado pela Orquestra “New York Debut”, fez sua estreia em Nova Iorque no ano de 1992.


Participou dos Festivais de Campos do Jordão, Gramado, Paraíba, Londrina, Curitiba e Itu.e no Canada Trabalhou música de Câmara com Sadau Harada Tóquio String Quartet e Eugen Druker do Emerson String Quartet. Foi solista das Orquestras de Porto Alegre, OSESP, de Campinas, Filarmônica do Rio de Janeiro e Bachiana Chamber Orchestra.


Fez sua estreia como regente com a orquestra Escola Viva em Fortaleza, tendo se apresentado com a mesma orquestra em São Paulo .Por ocasião dos 10 anos da morte de Eleazar de Carvalho regeu o concerto comemorativo durante a Semana  Eleazar de Carvalho no Teatro Maksoud Plaza. Sergei foi violinista da Orquestra do Estado de São Paulo(OSESP) de São Bernardo do Campo e da Bachiana Chamber Orchestra. Apresentou~se como solista sob a regência dos maestros Eleazar de Carvalho, Diogo Pacheco, Florentino Dias, Sidney Harth, Roberto Barros, Benito Juarez, João Carlos Martins entre outros.


Fez curso de pós graduação em violino na Universidade de Hartford nos Estados Unidos. sob a orientação de Anton Miller. Ingressando nos estudos da regência orquestral, atualmente foi por dois anos o regente assistente da orquestra Bachiana  Filarmônica do Sesi em São Paulo dirigida por João Carlos Martins. . Sergei participou de  um Curso Internacional  de Regência na Toscana - Itália, tendo a oportunidade de reger a Orquestra Rossini.

João Luiz REZENDE


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/joao_luiz_rezende.jpg[/picture_frame]


Violonista, arranjador e compositor, João Luiz começou tocando música brasileira na infância e pouco depois começou seus estudos de violão com Henrique Pinto.


Enquanto aluno de Henrique Pinto com quem estudou por sete anos, João Luiz gravou dois Cds como membro do Violão-Câmara-Trio. Integrante do Brasil Guitar Duo ao lado do violonista Douglas Lora, duo que venceu o prestigiado Concert Artists Guild em Nova Iorque cvwom gravações aclamadas pela critica especializada. Por cinco anos João integrou o quarteto de violões Quaternaglia com quem gravou dois Cds e um DVD.


Como solista e professor, João aparece como membro dos Festivais Eleazar de Carvalho no Brasil, Faculdade Santa Marcelina, Mannes College em Nova Iorque e recentemente como jurado no Heinsberg Festival and Competition na Alemanha.


Cursando o mestrado na Mannes College de Nova Iorque, teve como professores Michael Newman e Frederic Hand. Seus arranjos tem sido gravados e tocados por grandes intérpretes como Marina Piccinini, Fabio Zanon, Paulo Martelli, Marco Pereira, Na Ozzetti e outros.


Estreou no Festival de  Aspen em 2010 como membro do Brasil Guitar Duo em um programa apresentando seus arranjos para obras de J.S.Bach, Villa-Lobos, Milhaud e Piazzolla. Se apresenta regularmente em Festivais como New York River to River Festival, The Gran Teton Music Festival, Chautauqua Institution, Bermuda Guitar Festival, Tirol's Outreach Festival, Two Moors Festival, Sejong Chamber Hall na Coréia do Sul, Heinsberg Festival e Gliwice Guitar Festival na Polonia entre outros.


Apresentou-se tambem no Carnegie Hall, Weil Recital Hall, Mannes Guitar Seminar, Symphony Space, New York Guitar Society. Foi solista com as orquestras americanas Dallas Symphony, Houston Symphony, Lancaster Symphony, Philarmonic of Americas (NY) e com a OSESP '

Max BARROS


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/curriculum/max_barros.jpg[/picture_frame]


Pianista e codiretor artístico da ERC, ganhou grande aclamação como um dos pianistas mais importantes da América do Sul. Nascido na Califórnia e criado no Brasil, Max Barros foi agraciado com o “Solista do Ano” pela música de São Paulo Critics Association. Ele também dedica-se à execução de música, estreando e gravando várias obras dos mais importantes compositores como Amaral Vieira, Camargo Guarnieri, onde ganhou um “Discovery” prêmio da revista Diapason , na França. Max Barros já percorreu a América do Sul com o Virtuosi di Praga e tem sido um artista convidado, com o Quarteto de Cordas Ensemble americano e do St. Luke de Câmara.


Conhecido por suas interpretações estilísticas e historicamente  informada, e sua extensa pesquisa sobre a prática de desempenho de instrumentos de teclado, o que lhe permitiu trazer novas perspectivas para suas performances no piano moderno. Junto com Stephanie Chaise, gravou os trios completos de Boccherini e Stephen Storace em instrumentos de época. Em 2008, estreou no Festival de Caramoor executando de Guarnieri, Concertino para piano e orquestra, com a Orquestra da St. Luke, sob Michael Barrett.


Max gravou recentemente as obras de Camargo Guarnieri pelo selo Naxos.

Diogo PACHECO


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/diogo_pacheco.jpg[/picture_frame]


Natural de São Paulo, Diogo Pacheco regeu mais de mil concertos. Vencedor, em 1960, de concurso nos Estados Unidos, juntamente com Seiji Osawa, foi mais tarde convidado pelo maestro Eleazar de Carvalho para ser seu assistente na OSESP. Foi Regente Titular e Diretor Artístico da Orquestra Sinfônica do Recife. Regeu todas as principais orquestras brasileiras.


Foi Diretor Artístico da Faculdade de Música da Fundação Armando Alvares Penteado, Fundador do Coral do Club Athlético Paulistano.  Realizou eventos ao ar livre por todo o Brasil, Manteve por dezoito anos um programa na Radio Eldorado de São Paulo. Na televisão foi apresentador do programa “Ligue para um clássico” da “TV Cultura” e “Concertos Internacionais” da Rede Globo. Apresentador da Bravo Brasil, TV por assinatura.


Foi diretor artístico de temporadas líricas do Teatro Municipal de São Paulo. Professor de matérias teóricas da Escola Livre de Música, e do Interior do Estado de São Paulo. Fundou mais de cinqüenta corais, e desenvolveu atividades jornalísticas nos jornais “O Estado de São Paulo”, Jornal da Tarde” e revista “Veja”, nunca deixando, porém, sua carreira de regente. Nas óperas que dirigiu no Brasil, modernizou suas apresentações convidando diretores de teatro para encená-las, Recebeu  o Prêmio Governador do Estado,e o Prêmio Saci em 1966, pela música do filme “Vereda da Salvação”, de Anselmo Duarte. Agraciado com o grau de comendador pela Ordem do Mérito Cultural, pela Ordem do Ipiranga, no grau de comendador e Premio Eleazar de Carvalho pelo Ministério da Cultura. Indicado, por “notório saber” para professor nos cursos de  bacharelado em música, pelo Conselho Federal de Educação do Ministério da Educação e Cultura em 1982. Professor de regência e matérias teóricas das Faculdades de Artes Alcântara Machado e da Faculdade de Música de São Caetano do Sul e da Escola Livre de Música, de São Paulo.


Foi, em 1964, o responsável pela apresentação da cantora Elizeth Cardoso, no Teatro Municipal, de São Paulo e do Rio de Janeiro. Representou o Brasil nos Festivais de Música de Praga e de Varsóvia. Recebeu bolsas de estudos do Departamento de Estado norte-americano. Divulgador de música antiga e contemporânea foi responsável por  primeiras audições, desde 1954, quando fundou com Alfredo Mesquita, Gianni Ratto e outros, o Movimento Ars Nova.

LINA MORITA


[picture_frame]http://www.eleazarfundec.org.br/wp-content/gallery/professores/lina-morita.jpg[/picture_frame]


Lina Morita nasceu em São Paulo e vem construindo uma sólida carreira.


Apresentou-se como solista e camerista no Brasil, EUA, México, França e República Tcheca. Recentemente fez recitais na Cidade do México, no Museo Mural Diego Rivera e na Escuela de Musica “Vida y Movimiento” do Centro Cultural Ollin Yoliztli. Em fevereiro de 2013 realizou tournée pelos EUA com o violoncelista Dennis Parker, com quem estreou no último mês no Weill Hall do Carnegie Hall em Nova Iorque. Atou ainda como solista com a Ars Nova Chamber Orchestra em Washington e na Virgínia, a Lake Charles Symphony em Louisiana e a Washington Sinfonietta em Washington. Lina Morita recebeu o título de Doutor em Música em “Piano Performance and Literature” da renomada Eastman School of Music da University of Rochester, sendo realizado ainda mestrado na Rice University e graduação na Indiana University. Estudou nestas diferentes instituições com os pianistas e pedagogos Nelita True, Robert Roux, Edmund Battersby e Michel Block.


Professora da McNeese State University de Louisiana desde 2007, atuou anteriormente na Levine School of Music in Washington. Como participante ativa da Music Teachers National Association dos EUA e da Louisiana Music Teachers Association, Lina Morita também tem atuado regularmente como pianista e professora em masterclasses em escolas e universidades diversas, como aquelas da University of Tennessee, University of North Dakota, Sam Houston State University, University of Southern Mississippi, St. Mary’s College, Louisiana State University, Tulane University.

Edições anteriores

I Festival de Verão 2013